Sobre como é difícil a coautoria para publicações literárias de qualidade

Sinto saudades dos momentos
Em que nos arrogávamos;
Originais inacabados
Predicando um na língua do outro.
Éramos início e fim de nossas frases,
Capítulo atrás de capítulo em
Todas as posições.

Só que tudo se foi.
O Livro da Vida assim nos escreveu.
Acabou e só,
Com tudo Lido.

Eu, por parágrafos descontínuos,
Veranicos desinspirados, erro,
Visto que não posso mais
Me querer entre tuas crônicas, nem
Aplaudir teus intertextos carregados de fúria,
Ou te ver colocar para fora, ávida de letras,
Minha inspiração.

Você escolheu preencher um formulário.
Certo, lógico e seguro.
Mas, recôndita e pseudônima, ainda
Escreve a papel carbono para o meu eu-lírico,
Nas páginas úmidas de seu sujeito mais oculto,
Um saudoso subtexto em suas masturbações
Deliciosamente Literárias.