Casa Vazia

E aqui estou eu, sozinho
Casa grande e sem alma
Estranho no ninho
Querendo seu colo
E colar o seu rosto
No meu, devagarinho…

Incômodos quartos
Sem minha metade
No banheiro o banho
Se vai pelo ralo
E cortado na carne
Cozinho a saudade

A cidade me cita
E eu canto você
No canto da sala
Escurece, eu sei
Mas espero a aurora
De você vir me ver.

Casa vazia e triste sim
Casa que só você enche, presente, preenche;
Parte de tudo, plena em mim.