Cantiga de Maldizer

E quando te viram a cara – um tapa
Com as costas das pálpebras
Que chicoteiam o chão,
Enquanto os olhares se perdem
Nas próprias egocidades?

Como se fugissem do fogo
Os insetos rasteiros, estes,
De pensamentos rasteiros
Que quando sonham, peçonham
A desejar pesadelos.

Acordados usam máscaras
Até esquecerem os rostos;
Irreconhecíveis em si mesmos.

Desumanidades cotidianas
Intensas massas sombrias
Covardes assombrações.