Pouco me importa
A ceia com os Santos,
Se não puder, como os Anjos,
Ter asas, cair.

Da mesma maneira
Não me narciso no orgulho
Não penso afogar-me em mim mesmo,
Na solidão arrogante.

Sei o que quero,
Só não sei se devo;
Procuro. Espero.

Pierrô de todo dia,
No baile da vida,
À procura, à deriva.

Resolvi colocar um ‘trem’ diferente hoje…

…num sei, meio modernismo… Tô colocando porque é um achado – coisa das antigas (vou até manter a data aí nele). Quem ler, comenta aí!

P.
_____________

Grito!

29/06/04

O grito.
O grito não sai
O grito não sai
O grito nem vem nem vai
O grito.

O grito imita,
O grito suscita.
O grito suicida,
Se suicida e acaba
O grito.

O grito de ai
O grito de mais
O grito, ademais,
Não se grita, é
O grito.

O grito retumba
O grito retumba
O grito retumba
Se intensifica, aprofunda
O grito.

E eu aqui, mudo,
Por dentro entupido,
Nesse imbróglio forçado, contido,
Escrevo e
Não Grito!